• 7ª Arte

    Aparição: Mais valia não ter aparecido

    Desde que foi anunciado o início do desenvolvimento da adaptação do livro  Aparição, de Vergílio Ferreira, para o grande ecrã, que antecipava ver o resultado final. Preferia não o ter visto. Não é que seja completamente mau, mas é decepcionante. Aparição, tal como o livro homónimo, passa-se no final dos anos 50 e conta a chegada de Alberto Soares (Jaime Freitas) a Évora, para lecionar no liceu daquela cidade, e relata os diversos acontecimentos, alguns deles trágicos, que assolaram a sua estadia naquele local. Alberto (Jaime Freitas) O grande problema de Aparição é a forma como o livro é traduzido para o filme. O realizador tentou copiar a obra literária…

  • Atualidade

    Porto Editora volta a colocar à venda livros de atividades polémicos

    A empresa livreira diz ter sido comprovado que não havia qualquer discriminação nos blocos de atividades. A Porto Editora anunciou, no dia 26 de Setembro, que os livros de atividades para rapazes e raparigas que tinham sido suspensos no final de Agosto devido às críticas de discriminação estão novamente disponíveis para compra. Esta mesma decisão está relacionada com o facto de ter ficado comprovada “a não existência de qualquer discriminação nos blocos de atividades”, tal como foi referenciado no comunicado da mesma. A empresa justifica a anterior suspensão das vendas do artigo com a imediata polémica que se gerou assim que o caso foi conhecido. Na sequência das críticas, foram…

  • Literatura

    “Quem diabo é este Deus que, para enaltecer Abel, despreza Caim?”

    “Caim”, lançado em 2009, foi o último livro publicado por José Saramago e um dos seus trabalhos mais controversos. Laureado com o Nobel da Literatura em 1998, o escritor ribatejano nascido em 1922 sempre viu a sua escrita envolta em numerosas controvérsias, que em nada afetaram a sua maneira de ser ou de escrever. Por isso mesmo, Saramago mudou-se para Lanzarote, nas Canárias, talvez para fugir de todo o criticismo de que era alvo em Portugal, talvez por a sua personalidade literária requerer um lugar inóspito e refugiado de tudo o resto para poder criar. A verdade? Pouco importa, tanto para mais quando estamos perante um verdadeiro monumento da literatura…

  • Literatura,  Secções

    Mein Kampf- A Minha luta e a Nossa luta

    Todos nós estamos familiarizados com a expressão “A caneta é mais poderosa que a espada”. É uma verdade que muitos de nós aceitam e reconhecem pelos inúmeros exemplos que a história nos tem vindo a mostrar. Jornalistas, escritores, compositores, muitos têm sido aqueles que usam a escrita como uma arma violenta, mas não mortal; dura, mas justa. É uma questão de orgulho civilizacional, poder dizer que a diplomacia e o diálogo são superiores à força das armas e que o ser humano já se encontra noutro patamar evolutivo. Mas o que acontece quando a palavra escrita, aquela que deveria manter a espada na bainha, só serve para a afiar? A…

  • Literatura,  Secções

    Elementar, meu caro leitor

    Sir Arthur Ignatius Conan Doyle, nascido a 22 de maio de 1859, é um dos mais brilhantes e conhecidos escritores de literatura criminal, e mundialmente famoso pela sua igualmente famosa personagem: Sherlock Holmes. Formou-se em medicina, que praticou até 1891, mas foi a escrita que lhe deu a fama internacional, especialmente as aventuras da dupla Sherlock Holmes, o detetive perfeito, e o seu fiel companheiro, O Dr. John Watson. Foi a publicação, em 1887, de Um Estudo em Vermelho que deu a Conan Doyle notoriedade imediata. Nesse, como nas suas outras histórias policiais, o personagem principal é o detetive de inteligência penetrante, que toca violino e faz uso de morfina…

  • Literatura,  Secções

    Ri e chora por mais

    Recensão: “Crónica dos Bons Malandros” de Mário Zambujal. Este não é um livro para todos. Certamente, não foi escrito para as meninas de trancinhas direitas que não suportam que se lhes mexa no cabelo ou para os meninos que nunca tiveram o desplante de substituir os pneus do carro do professor menos simpático por tijolos. Também não é para o vizinho que não suporta que lhe toques à campainha porque “te enganas no interruptor da luz” ou para “o pica” que não fica satisfeito depois de te perseguir pelo comboio, quando na verdade tens bilhete. Então, para quem foi escrito? Para todos aqueles que, numa altura ou noutra, fizeram alguma…

  • Literatura

    As Velas Ardem Até ao Fim

    “As Velas Ardem Até ao Fim” é uma das maiores obras do escritor Sándor Márai. Um autor que até então me era desconhecido e que em poucas páginas me agarrou e me deu vontade de explorar as suas obras. Este livro é um hino à amizade; um livro essencial num mundo literário tão baseado em histórias de amores e desamores, de crimes, tragédias, acções e aventura. Falta amizade nas prateleiras. Faltam histórias de amizades; desse valor tão belo, tão raro e tantas vezes posto de parte e banalizado. Sándor não banaliza a amizade. Sándor eleva a amizade ao colocar Konrad e Henrik a conversar à lareira toda uma noite, até…

  • Literatura

    Desenhador de Palavras: As 50 Sombras de E. L. James

    2012 foi um ano de viragem na vida de E. L. James. A autora passou de uma desconhecida ex-produtora televisiva a autora de best-sellers. Erika Leonard James nasceu em Londres a 7 de março de 1963 e sempre sonhou escrever histórias pelas quais os leitores se apaixonassem imediatamente.Começou por escrever fanfictions da saga Crepúsculo, também best-seller. Na altura usava o pseudónimo “Snowqueen’s Icedragon” e foi aí que começaram a surgir os primeiros rascunhos daquilo que viria a ser o primeiro romance de E.L., 50 sombras de Grey. “A vida não é uma prova de vestidos”, escreve no seu site oficial, onde defende que se deve lutar pelos sonhos pois também…

  • Literatura

    Amor, vingança e pedras preciosas

    Recensão crítica do livro “Tudo o que ficou para trás”, de Nora Roberts   “Tudo o que ficou para trás” é literalmente uma história de princesas e ladrões. Leva-nos a Jaquir, paraíso quente e opressor na Arábia, mas também a Nova Iorque, a Inglaterra e ao México. Fala-nos de paixão, vingança e pedras preciosas, e arrebata-nos da primeira à última linha. Acompanhamos o crescimento da Princesa Adrianne, filha do intolerante Rei Abdu e da ex-estrela de Hollywood Phoebe Spring. Com uma infância complicada e muitos traumas, Adrianne vai crescer com o desejo de vingança no coração, o desejo ardente e antigo de conseguir de volta O Sol e A Lua,…

  • Literatura

    As cores do preto

    Um livro que se lê em cinco minutos, mas que diz tanto em tão pouco. De capa e páginas negras se enche, mas a sua essência capta todas as cores possíveis. Tomás leva-nos numa viagem pelas sensações que acabamos por ignorar no dia-a-dia. Mostra-nos como é não poder ver as cores, não saber como são, e ensina-nos a apreciá-las com o tacto, o cheiro e o olfacto – e não a visão. Poderão dizer que é um livro para crianças – e de facto está nessa secção – mas pode ensinar tanto a todos. Nas páginas pretas com palavras a branco, Tomás diz qual o cheiro do amarelo, o que…